Atenção, alunos e professores: o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) vai promover um Grand Prix (GP) de Inovação durante o período de quarentena do novo coronavírus. A ideia é buscar soluções para as demandas da indústria e da sociedade para combater a doença. Serão dez dias de desafio, que vão de 13 a 23 de abril. 


Os projetos podem ser inscritos até o dia 10 de abril, na plataforma da Saga SENAI de Inovação. Ao se inscreverem, os alunos do SENAI terão acesso ao regulamento e a um bate-papo para esclarecer possíveis dúvidas. Cada equipe pode ter, no mínimo, três pessoas e um instrutor, que vai atuar como orientador dos alunos. Como o trabalho será virtual, podem participar da mesma equipe alunos de escolas diferentes em todo o Brasil. Os instrutores poderão participar de forma individual ou em duplas.  


Na avaliação do professor do Ibmec Brasília Gino Terentim Junior, novos formatos educacionais como esse proposto pelo SENAI são importantes em meio a um cenário de incertezas no mercado de trabalho.



“Eu vejo isso como algo fundamental. A gente precisar repensar o modelo de negócio da educação. Quando a gente foi obrigado a se confinar por causa do coronavírus, a educação saiu dos prédios. Os prédios detinham a educação, e eu precisava sair da minha casa. À medida que eu tive que ficar em casa, isso forçou esse modelo a se adaptar”, analisa.


Para serem aceitos, os projetos devem responder a questionamentos relacionados ao ritmo de estudos durante a pandemia; aos cuidados da indústria para evitar contaminação de funcionários, sem perder produtividade; e como manter os ambientes saudáveis meio à pandemia. Para os instrutores que quiserem inscrever propostas individuais, há uma problemática extra sobre ferramentas educacionais inovadoras que podem ser utilizadas nesse momento de crise.


A avaliação dos projetos será feita entre os dias 13 e 17 de abril e o resultado deve ser divulgado entre os dias 20 e 23. A equipe de alunos campeã leva para casa um celular smartphone Galaxy S10 Plus, além de um certificado. Já as equipes campeãs de instrutores, do primeiro ao terceiro lugar, levam certificado e celulares Galaxy S20. 
   
Saúde
Em março, o SENAI lançou o edital de inovação para a indústria. Com isso, vai investir em projetos que sejam de aplicação imediata, destinados a prevenir, diagnosticar e tratar a Covid-19. Os projetos podem, por exemplo, trabalhar na recuperação de aparelhos danificados e na aquisição e produção de materiais essenciais para o enfrentamento da crise, como álcool em gel e máscaras. O investimento disponível para empresas e startups chega a R$ 30 milhões, se somadas as duas chamadas da licitação, e cada projeto poderá captar até R$ 2 milhões. Os resultados devem apresentar efeitos em até 40 dias.


“A nossa atuação será no suprimento desses problemas, como os testes rápidos para a detecção da doença. No isolamento, ter uma gama ampla desses testes vai ser de grande importância, bem como a fabricação de ventiladores (respiradores)”, afirma o diretor de Educação e Tecnologia da CNI, Rafael Lucchesi. 


A Aredes Equipamentos Hospitalares foi uma das empresas que se inscreveu no edital e já trabalha na adaptação de ventiladores pulmonares da área veterinária para uso humano. O equipamento em versão simplificada poderá ser utilizado por pacientes na fase inicial, o que pode evitar o agravamento dos sintomas respiratórios da Covid-19. O ventilador será projetado, fabricado e testado no SENAI. Após a homologação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a empresa projeta fabricar mil unidades por mês. 


Para participar do edital de inovação, as proposições podem ser realizadas por meio do whatsapp, no número (61) 99628-7337 ou pelo e-mail combatecovid19@senaicni.com.br.


Na área de educação técnica e profissional, o SENAI abriu vagas gratuitas em cursos a distância voltados à indústria 4.0, com temas ligados à tecnologia, para milhões de brasileiros que precisam ficar confinados dentro de casa. Os cursos têm carga horária de 20 horas e estarão disponíveis até junho. Para ter acesso aos cursos e às vagas, basta acessar a plataforma Mundo SENAI e fazer um cadastro simples.  


Para amenizar os efeitos da Covid-19 e proteger quem produz e quem consome, além do SENAI, a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Serviço Social da Indústria (SESI), o Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e as Federações das Indústrias dos 26 estados e do DF têm levado informação e tomado medidas para reduzir os impactos econômicos e preservar vidas por meio da campanha nacional “A indústria contra o coronavírus”. Mais informações podem ser acessadas nas redes sociais das entidades.  


Deixe seu Comentário