O zoneamento do Mato do Júlio  é um dos debates que mais está sendo feito em toda a cidade, existe quem é a favor do zoneamento e existe quem é contra, na Câmara de vereadores de Cachoeirinha não é diferente.

A Prefeitura municípal no ano passado fechou um acordo de zoneamento com os herdeiros proprietários, o espaço com cerca de 240 hectares foi mapeado com um projeto feito pelo executivo, o projeto foi apresentado pelo Secretário de Planejamento Elvis Valcarenghi, e nele está uma construção de condomínio e até uma estrada que liga a avenida papa João xxiii até o parque da matriz.

O projeto apesar de pronto tem alguns entraves na legalidade, pois alguns vereadores são contra a construção do projeto, por que, segundo eles não haveriam feito os estudos necessários para verificar a área de preservação do local, também que o "mato do julio"  é o pulmão da "região" metropolitana.

A Prefeitura, no inicio do ano fez na câmara de vereadores uma audiência Pública para debater sobre o zoneamento do mato, a audiência conteve muita gente contra, inclusive a Associação de preservação Nacional do Vale do Gravataí (APN-VG) que engrossou o discurso de que qualquer construção no local é ilegal.

A Prefeitura de Cachoeirinha enviou na semana passada um projeto de lei para a câmara de vereadores que altera a lei 11/2007 (Lei do plano diretor), e se caso aprovada essa lei apenas faltaria alguns entraves para o início da construção no local.

O vereador Marco Barbosa (Presidente da comissão parlamentar do Mato do Júlio) é totalmente contrário, e inclusive postou nas suas redes sociais nessa noite:

"Na sessão desta terça-feira (2) fui até a tribuna para mostrar pontos de ilegalidade do projeto de lei 4463, do Executivo, que pretende zonear o Mato do Júlio. Li um trecho da recomendação feita pelo Ministério Público em fevereiro, sobre a ausência dos estudos técnicos adequados e determinados pela legislação, inclusive o Plano Diretor. Quem tenta travar o desenvolvimento da cidade é quem quer passar por cima da lei para benefício próprio. Vereador é fiscalizador do cumprimento das leis, e é isso que faço."

A sessão que poderá definir o futuro do mato do julio ainda não terminou, a votação poderá ocorrer ainda hoje. 

Deixe seu Comentário


Luiz Miranda Neto - 03/06/2020 13h13
Toda área verde que for de importância para uma população deve ser preservada. Como sempre deve haver um interesse entre construtoras e alguns políticos.