Em coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (12), o Ministério da Saúde divulgou novos números referentes à assistência à Covid-19 e contratação de profissionais de saúde. De acordo com a pasta, o País conta, atualmente, com mais de 978 mil profissionais com cadastros finalizados para atuar no enfrentamento à pandemia. Além disso, o número de outros dispostos a atuar ultrapassa 438 mil.

A secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, afirma que, com o avanço da pandemia, as contratações foram necessárias e que aumenta gradativamente de acordo com a necessidade de cada localidade.

“Já em atuação nos municípios brasileiros nós temos 322 profissionais de saúde em Manaus, 94 no Amapá e já recebemos solicitação de oferta do banco de dados para Bahia, Maranhão, Piauí, Paraíba, São Gabriel da Cachoeira e Tabatinga”, explica Mayra.

Na ocasião, também foram expostos dados referentes ao programa “O Brasil Conta Comigo – Acadêmico”. De acordo com o Mistério da Saúde, já foram cadastrados 744 gestores de hospitais filantrópicos, 50 de hospitais federais, mais de 108 mil alunos da área da saúde, 19 gestores estaduais, 1.414 gestores municipais e 757 procuradores institucionais.

A contratação destes profissionais no “O Brasil Conta Comigo” é temporária, por até seis meses, e remunerada de acordo com o salário base de cada categoria. O objetivo é cadastrar e capacitar profissionais, residentes e estudantes da área de saúde com o intuito de auxiliar estados e municípios nas ações de enfrentamento ao novo coronavírus.

Doação de sangue

O Ministério da Saúde também aproveitou a coletiva para fazer o lançamento Campanha de Doação de Sangue 2020. O gesto, segundo o ministério, é fundamental para salvar milhares de vidas. De acordo com dados divulgados nesta sexta, as bolsas de sangue coletadas no Brasil caíram 2,5% nos últimos quatro anos, apesar das transfusões de sangue terem aumentado 4,8% no mesmo período.

Em 2019, por exemplo, foram coletadas no Sistema Único de Saúde (SUS) cerca de 3,2 milhões de bolsas de sangue, enquanto em 2016 esse número de bolsas foi de aproximadamente 3,35 milhões. Atualmente, no Brasil, 16 a cada mil habitantes são doadores de sangue. A taxa representa 1,6% da população do país e está dentro dos parâmetros preconizados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Para o coordenador geral de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde, Rodolfo Duarte, o processo de preparação para os processos de doação já tiveram início e os doadores terão total segurança, inclusive para evitar contaminação por qualquer doença.

“Mais do que nunca, nós notamos a necessidade da população ser solidária. Para isso, estamos preparando todos os estados, todos os hemocentros têm se preparado para receber os doadores regulares e os de primeira viagem. Estamos reforçando as medidas de segurança e de higiene, para que todos possam entrar e sair com saúde do processo de doação, feliz por saber que praticou um ato de solidariedade”, afirma Rodolfo Duarte.

Desde 2012, a idade de pessoas habitas a doarem sangue passou de 18 para 16 anos, com autorização do responsável. Além disso, o Ministério da Saúde ampliou a idade máxima de 67 para 69 anos. A pessoa interessada em doar sangue deve pesar no mínimo 50 quilos e estar em bom estado de saúde geral.
 

Deixe seu Comentário